Speedbird Aero, startup de entregas por drones, capta R$ 10 milhões com a MSW Capital

Fundo MSW MultiCorp2 conta com Embraer, BB Seguros, Baterias Moura e Age-Rio

76

A Speedbird Aero, startup que faz entregas por drones, anuncia nesta quinta-feira (3/8) a captação de R$ 10 milhões em investimentos, conduzida pela MSW Capital por meio do fundo MSW MultiCorp2, que conta com as companhias Embraer, BB Seguros, Baterias Moura e Age-Rio.

startup acumula mais de 10 mil horas de voo e já recebeu investimento anteriormente — entretanto, não revela o valor nem os investidores. Segundo Manoel Coelho, CEO da Speedbird Aero, a meta da empresa é se tornar uma referência mundial no segmento de drones.

Moisés Swirski, sócio da MSW Capital, explica que o MSW Multicorp 2 reúne corporações que se organizam para investir em startups que estão associadas a teses de inovação delas próprias. “O interesse desses investidores é em verticais de mobilidade elétrica, seguros e meio-ambiente. A Speedbird é sinérgica a todas às corporações, mas em especial à Embraer, que a indicou para receber investimento”, diz.

As negociações começaram em janeiro deste ano, e o contrato foi assinado em julho deste ano.

Fundada em 2018 por Samuel Salomão e Manoel Coelho, a startup surgiu após os empreendedores perceberem a oportunidade de aprimorar o serviço de entregas no Brasil, especialmente no setor de saúde, com entrega de medicamentos e amostras de sangue. Apesar de o foco inicial não ser a alimentação, a startup teve como primeiro cliente o iFood. “Eles encararam o projeto com muita seriedade para complementar o serviço do entregador”, diz Coelho. Em seguida, o Grupo Pardini se tornou cliente.

O dinheiro será utilizado para aumentar o time, especialmente em tecnologia e comercial. Atualmente, a empresa está presente em locais como Argentina, Peru, Israel, Reino Unido e Estados Unidos — e espera chegar a mais seis países da América Latina em breve. No Brasil, a empresa opera os drones durante as viagens. Em outros países, a startup vende ou aluga os equipamentos para que sejam operados por outras empresas.