‘Depositei e fui bloqueado’, diz vítima que caiu 4 vezes no golpe do agiota

0
222

O número de estelionatos no Brasil mais que quadruplicou nos últimos cinco anos: em 2022, foram registrados 1.819.409 casos do crime, 326% a mais que em 2018, quando ocorreram 426.799 registros, de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2023.

Na última quarta-feira (19), o g1 mostrou que golpistas que estão se passando por agiotas no Instagram utilizam fotos de crianças e famosos para tirar dinheiro de quem busca empréstimo fácil na plataforma.

Questionada se irá adotar medidas a fim de coibir golpes do tipo, a Meta, empresa responsável pelo Instagram, disse: “Usamos uma combinação de denúncias da nossa comunidade, tecnologia e revisão humana para identificar conteúdos violadores e removemos tais conteúdos quando tomamos conhecimento deles em nossa plataforma”. No entanto, mesmo após contato do g1centenas de perfis de golpistas continuavam ativos até a última atualização desta reportagem.

g1 conversou com uma das vítimas do golpe, que aceitou falar sobre o caso sem se identificar, e teve acesso a denúncias de outras pessoas no estado de São Paulo (veja mais abaixo).

Quatro vezes enganado

“A primeira vez que eu me iludi foi em 2020, no comecinho da pandemia, com a gente preso em casa. Desesperado, sem saber o que fazer, eu solicitei o dinheiro”, contou o rapaz de 33 anos e morador da capital paulista. 

Ele disse que enviou via WhatsApp toda a documentação solicitada pelo suposto agiota (foto de RG, comprovante de residência etc) e logo foi bloqueado. Semanas depois, ainda precisando de dinheiro, tentou obter o empréstimo com outro perfil no Instagram e enviou todos os documentos por e-mail. Só não “deu certo” porque o e-mail retornou.

Na terceira vez, registrou um boletim de ocorrência depois de se sentir ameaçado pelo golpista. “Ele insistiu que eu tinha que pagar a taxa, que estava no contrato, que ia negativar meu nome”, lembrou.

Na última tentativa, em abril deste ano, acabou perdendo quase R$ 200 e ficou sem o empréstimo:

“Vi a dita-cuja no Instagram e me interessei porque até tinha comprovantes de envios a clientes. Então, a ‘imaginária’ Laura falou comigo. Disse que seria necessário efetuar um ‘valor de liberação’ de R$ 280, mas consegui deixar por R$ 190. Depositei a quantia, e em seguida, fui bloqueado”.

Outras vítimas

 

g1 teve acesso a outras cinco denúncias de pessoas que caíram no golpe do falso agiota. Todos os relatos são investigados pela Polícia Civil como suspeita de estelionato. Confira:

‘Por motivo de saúde pedi R$ 8 mil’

“Peguei o contato no Instagram. Precisava muito por motivo de saúde e por não conseguir crédito em bancos, pois estava negativada. Mandei mensagem e pedi um empréstimo de R$ 8 mil. Ele falou que era agiota e que eu precisava pagar R$ 200. Fiz o Pix, enviei o comprovante, ele falou que já estava finalizando para fazer o Pix e passou uma hora…”.

Perdeu R$ 610

“Navegando no Instagram, apareceu um anúncio de empréstimo para negativados, e eu cliquei. Me direcionou para um WhatsApp. Fiz contato, e ele solicitou uma taxa de R$ 450. Depois de conversar e pesquisar no Instagram, onde havia vários depoimentos de supostos clientes, fiz a transferência. Depois de algum tempo, ele alegou que meu Score era baixo e necessitava de mais R$ 279, mas eu só tinha R$ 160. Combinamos que ele descontaria. Logo depois ele apagou tudo”.

‘Fiz o pagamento, e ele me bloqueou’

“Vi a postagem de uma mulher no Instagram dizendo que o rapaz fazia empréstimo. Entrei em contato, e ele se apresentou como agiota particular. Eu queria fazer um empréstimo de R$ 5 mil. Ele me pediu a primeira parcela, que seria de R$ 295,24. Também pediu foto do meu RG, do CPF e do comprovante de endereço. Fiz o pagamento, e ele me bloqueou.”