Secretário da Semplan visita DER para alinhar andamento de obras em Ji-Paraná

A reunião definiu os trabalhos para fechamentos de valas e de pavimentação

31

Atendendo à determinação do Prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca, na última semana, o secretário municipal de Planejamento (Semplan), Pedro Cabeça Sobrinho, esteve em Porto Velho para tratar do andamento das obras de pavimentação e recuperação de valas no município.

Ele se reuniu com o diretor-geral do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), Eder André Fernandes, e o secretário estadual de Obras e Serviços Públicos (Seosp), Erasmo Meireles.

A visita definiu o andamento e as frentes de trabalhos para dar celeridade à recuperação das valas. Isso ocorreu em decorrência da implantação da rede de esgotamento sanitário, e dos trabalhos de pavimentação pelo Programa Poeira Zero, da Prefeitura de Ji-Paraná, e Tchau Poeira, governo de Rondônia.

“Há mais de 20 dias estou à frente da execução dos trabalhos de pavimentação e do fechamento de valas. Já foram recuperados 30 quilômetros de ruas e avenidas [2º distrito]. O Prefeito Isaú Fonseca solicitou que várias frentes de trabalhos fossem iniciadas para o asfaltamento mais rápido possível das ruas danificadas”, informou Pedro Cabeça.

Os trabalhos de recuperação estão sendo realizados desde de 2022, mas passaram a ser acompanhados pela Semplan há cerca de um mês. As restaurações das vias são executadas por meio de uma parceria das equipes do DER, Seosp, Semplan e Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp).

“São quatro equipes trabalhando em conjunto e, simultaneamente, para o término das obras, mesmo no período chuvoso. Estamos atuando, em parceria com o governo de Rondônia, para que possamos evoluir, com mais agilidade”, destacou o secretário da Semplan.

Com o valor aproximado de R$ 200 milhões, a implantação da rede de esgoto é executada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O projeto de esgotamento sanitário de Ji-Paraná tem cerca de 400 km de extensão e prevê a construção de estações de tratamento de efluentes (ETE), bombeamento e oito lagoas para contenção de dejetos.