Investimentos em estradas, maquinário e agroindústria marcam ações do município para a agricultura e pecuária

Porto Velho segue com potencial para a geração de riqueza no campo

34

Recuperação de estradas vicinais, aquisição de maquinário e incentivos a produtores rurais. O último ano (2022) foi marcado por transformações e avanços no setor produtivo de Porto Velho.

Maior capital brasileira em extensão territorial, Porto Velho possui hoje milhares de quilômetros de estradas vicinais que ligam a propriedades rurais e pequenos produtores.

Ao todo, mais de 2,3 mil quilômetros de estradas vicinais foram recuperados, através dos serviços da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Semagric), somente no último ano. Entram na lista, ainda, a recuperação de 46 pontes e 78 bueiros. Os trabalhos exigiram mais de 67 mil metros cúbicos de cascalho.

“Recuperar estradas vicinais vai muito além de garantir acesso a quem vive na zona rural, trata-se de dar dignidade a quem produz no campo, permitindo que famílias inteiras consigam escoar suas produções, gerando renda e contribuindo para a economia do município”, explica o secretário da Semagric, Gustavo Serbino.

MAQUINÁRIO

Pasta trabalhou para a recuperação de dezenas de maquinas pesadas

Outro feito foi que a pasta municipal encerrou o último ano com sete vezes mais maquinários em atuação quando comparado ao início do mesmo ano. Ao todo, mais de 90 máquinas pesadas foram recuperadas pela Semagric e passaram a auxiliar nos serviços da pasta.

“Em 2023 temos R$ 7,5 milhões de orçamento para a manutenção de máquinas pesadas, além de novas aquisições que ainda vão chegar neste ano para somar com a nossa força de trabalho”, explica o secretário da Semagric.

Um exemplo desse novo período de aquisição foram as máquinas entregues à pasta no último mês de dezembro. Os equipamentos, que somam mais de R$ 4 milhões em investimento, são frutos de um convênio entre o município e o Fundo para Infraestrutura de Transporte e Habitação (Fitha).

Gustavo Serbino, secretário municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Outra conquista do último ano foi a retomada da cooperativa de carne de jacaré em Porto Velho. Uma atividade econômica com forte potencial, a cooperativa, localizada na Reserva Extrativista do Lago Cuniã, cumpriu a regularização das licenças após a Semagric auxiliar os moradores no levantamento das documentações necessárias.

Com isso, a comunidade local retomou os trabalhos após cinco anos. A atividade, além de ser uma importante fonte de renda para as famílias que vivem dentro da reserva, também é uma importante ferramenta de controle populacional da espécie na região, sem interferir no equilíbrio biológico.

“Esse foi um importante ato que mostra como a Prefeitura está preocupada em incentivar a agroindústria em Porto Velho. Temos todas as condições de continuarmos a ser uma potência na agricultura e pecuária, mas precisamos agregar ainda mais valor ao nosso produto”, afirma o secretário da pasta.

Uma prova do incentivo à agroindústria é que o município acompanha a instalação de uma empresa de laticínios no distrito de União Bandeirantes, além do pedido de instalação de um frigorífico de carne bovina na mesma região.

Investimento na agroindústria é uma das principais metas da pasta

Em 2022, Porto Velho esteve em 1º lugar entre as capitais na produção de gado em todo o Brasil. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município conta com cerca de 1,5 milhão de animais.

PRODUÇÃO

Na área de produção, a Semagric entregou, somente no último ano, mais de 150 mil mudas de café. A meta, para a partir deste ano, é aprimorar, por exemplo, o ProCafé.

“A Prefeitura optou por diversificar as ações de promoção à agricultura familiar. Neste ano, além de continuar com a entrega de mudas, o município também orientará os produtores sobre linhas de crédito. A ideia é que eles empreguem esses recursos na compra de calcário, adubo, irrigação”, explica o secretário.

Em 2022, o município firmou parceria junto ao Sebrae para fortalecer a cadeia produtiva da bovinocultura leiteira. O objetivo é incentivar a inovação, tecnologia e promoção da educação empreendedora no campo.

O subsídio disponibilizado pelo Sebrae foi de R$ 249 mil, com contrapartida do município, totalizando cerca de R$ 500 mil. Ao todo, 210 pequenos produtores rurais serão selecionados para a execução do projeto que prevê ações de aprimoramento tecnológico da atividade leiteira.