Caerd adquire 45 mil kits cavaletes para instalação de novos hidrômetros

Os próximos equipamentos que devem ser entregues são 79.680 hidrômetros, adquiridos pelo valor de R$ 6.029.174,40 (seis milhões

50

Para ampliar a oferta de um serviço de qualidade à população rondoniense, a Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia – Caerd vem investindo na aquisição de materiais e equipamentos, a exemplo dos 45 mil kits cavaletes entregues na última semana no almoxarifado da Estação de Tratamento de Água – ETA II, em Porto Velho.

Os kits cavaletes são utilizados pela equipe da Companhia como suporte para a instalação de hidrômetros. Os equipamentos foram adquiridos após o investimento do Governo de Rondônia no valor de R$ 20 milhões, repassados à estatal neste ano.

O governador de Rondônia, Marcos Rocha, reforça que a aquisição de novos equipamentos estão dentro da política de melhorias, que reflete em maior qualidade dos serviços. “A aquisição dos novos hidrômetros vai contribuir para as ações de modernização e padronização do Sistema de Abastecimento de Água do Estado”, pontuou o governador.

NOVOS CONTADORES

Os próximos equipamentos que devem ser entregues são 79.680 hidrômetros, adquiridos pelo valor de R$ 6.029.174,40 (seis milhões, vinte e nove mil, cento e setenta e quatro reais e quarenta centavos).

Na semana passada o diretor Administrativo e Financeiro – DAF, Messias Maia; o coordenador Comercial e de Negócios, Walmir Brito; e o gerente comercial Jander Luiz, estiveram em Fortaleza-CE, em uma visita técnica à empresa fornecedora dos contadores para analisar a qualidade e segurança dos aparelhos.

“São hidrômetros velocimétricos multijato, unijato, ultrassônico e woltmann, que serão utilizados nas ligações particulares e públicas sem medidores, e os aparelhos antigos com mais de dez anos de uso, instalados em ligações taxadas serão substituídos”, especificou o diretor da DAF.

Segundo Walmir Brito, “em detrimento de vazamentos intradomiciliares, que não estão sendo contabilizados por medidores antigos, em que a maioria está travada, podem ocorrer consumos elevados”, alerta.

Texto: Rejane Júlia
Fotos: Rejane Júlia, Messias Maia e Newton Sérgio