Lula e Bolsonaro se preparam para último debate antes do segundo turno

Candidatos à Presidência devem focar em temas ligados à economia; confronto será exibido pela Rede Globo a partir de 21h30

51

A dois dias do segundo turno, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) enfrentam na noite desta sexta-feira (28) o último debate presidencial destas eleições.

O confronto é promovido pela Rede Globo e será exibido a partir das 21h30 em cinco blocos — dois deles voltados a temas livres, dois a assuntos pré-determinados, e o último a considerações finais.

Semelhante ao que ocorreu no primeiro debate do segundo turno, realizado pela Band, os presidenciáveis terão que gerenciar seu tempo em dois momentos. Nesses blocos de tema livre, cada um terá 15 minutos para dividir entre perguntas, respostas, réplicas e tréplicas.

A administração do tempo é um dos pontos que a campanha de Lula focou em melhorar em relação ao último debate, segundo apuração dos analistas da CNN Leandro Resende e Iuri Pitta. O petista também procurará se defender com mais clareza quando for questionado sobre casos de corrupção.

Já o QG de Bolsonaro tenta conscientizar o presidente sobre seu perfil explosivo e o perigo de momentos de agressividade, segundo apuração do analista da CNN Kenzô Machida.

Estratégias para o confronto

Tanto Lula quanto Bolsonaro devem focar em temas ligados à economia, como informou o analista da CNN Gustavo Uribe. O objetivo é atrair o voto do eleitorado indeciso, especialmente de classe média.

O petista deve se concentrar em temas que abordem “problemas reais da sociedade”, como propostas sobre o salário mínimo, inclusive fazendo críticas ao seu adversário. O ex-presidente também conta com a ajuda da consultora Olga Curado para transmitir uma imagem calma e segura.

Bolsonaro tem sido orientado a repetir gestos que fez no primeiro encontro entre os candidatos no segundo turno, como o contato físico com Lula. Além disso, seus aliados entendem que o presidente deve ficar atento a eventuais deslizes do petista.

O atual mandatário, que assim como Lula reservou sua agenda desta sexta para se preparar para o debate — incluindo reuniões com seus filhos Carlos Bolsonaro, que cuida da estratégia de mídia digital, e Flávio Bolsonaro, coordenador de campanha —, deve reforçar ataques contra o adversário focando na temática da corrupção.

Últimas propagandas

Também nesta sexta-feira (28), os presidenciáveis exibiram suas últimas propagandas eleitorais, seguindo o cronograma estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Lula se apresentou como o candidato da paz e preocupado com o “amanhã” no país. Bolsonaro fez um discurso de que arrumou o Brasil.

“Agora, falta pouco para começar a construir esse novo Brasil. Um Brasil com oportunidades iguais para todos. Livre da fome, com mais emprego e salário mínimo sempre acima da inflação”, afirma Lula.

“O Brasil está arrumado. Neste novo mandato, eu peço a você uma chance para mostrar que o Brasil é de todos os brasileiros”, disse Bolsonaro.