Assista: Governador vê ação politiqueira em denúncias de que gestão tentou fechar o Hospital de Amor

Marcos Rocha, disse nesta quarta-feira (31) que não tem cerca de 400 policiais militares o protegendo no CPA em Porto Velho, como disse o ex-governador Daniel Pereira.

41

 

Confira o vídeo na íntegra:

Terceiro entrevistado no “Videocast o Poder do Voto”, o governador e candidato a reeleição pelo União Brasil, Marcos Rocha, disse nesta quarta-feira (31) que não tem cerca de 400 policiais militares o protegendo no CPA em Porto Velho, como disse o ex-governador Daniel Pereira. Há vários militares que atuam na proteção de toda a estrutura das secretarias, garantiu. Ele também rebateu alegações de Pereira de que existia muito dinheiro em caixa quando o atual governante assumiu. “É só olhar o portal da transparência para confirmar o que estava e ver agora e aí vamos conseguir mostrar que não é isso que ele falou e tenho todas as provas documentais pra divulgar em breve”.

Entrevistado pelos jornalistas Gérson Costa, Rubens Coutinho e Lúcio Albuquerque, o governador deu detalhes sobre a escolha de seu candidato a vice, Sérgio Gonçalves e abordou ainda vários assuntos polêmicos, como acusações feitas por dirigente do Hospital de Amor, pelo senador Marcos Rogério e pela deputada federal Silvia Cristina, que o ex-secretário Fernando Máximo trabalhou para o fechamento da unidade hospitalar. Marcos Rocha vê uma ação politiqueira nas acusações justamente por unir dois políticos com um aliado deles e afirmou ainda que os recursos pedidos pela direção foram sempre repassados.