Varíola dos macacos: BH já tem transmissão comunitária da doença

Número de casos da doença chegou a 18; todos pacientes são do sexo masculino, com idades entre 22 e 38 anos

65

Belo Horizonte teve a confirmação de transmissão comunitária de varíola dos macacos. O número de casos da doença subiu para 18, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA). Os pacientes estão em “boas condições clínicas”. Antes da atualização da enfermidade nesta quarta-feira (13), a capital mineira registrava 15 diagnósticos da doença.

Os pacientes infectados pela varíola dos macacos são do sexo masculino, com idades entre 22 e 38 anos.

A SMSA esclareceu que 15 pacientes têm histórico de viagem a São Paulo, Rio de Janeiro ou países com transmissão comprovada. “Os outros três pacientes não têm histórico de viagem a locais com casos confirmados da doença, o que confirma a transmissão comunitária em Belo Horizonte”, diz trecho da nota da secretaria.

Nenhum dos pacientes com varíola dos macacos estão em internação hospitalar. A SMSA está monitorando os contactantes dos infectados.

Quais são os sintomas da varíola dos macacos?

Os sintomas iniciais da varíola dos macacos incluem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfonodos inchados, calafrios e exaustão.

Lesões na pele se desenvolvem primeiramente no rosto e, depois, se espalham para outras partes do corpo, incluindo os genitais. As lesões na pele parecem as da catapora ou da sífilis até formarem uma crosta, que depois cai.

Os sintomas da varíola dos macacos podem ser leves ou graves, e as lesões na pele podem ser pruriginosas ou dolorosas.

Como é a transmissão da doença?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) ainda não sabe qual a fonte de infecção nos casos relatados. No entanto, segundo informa o Instituto Butantan, já é possível detalhar como a doença tem se espalhado entre os humanos. Confira como ocorre essa transmissão:

  • Contato com com gotículas expelidas por alguém infectado (humano ou animal);
  • Contato com as lesões na pele causadas pela doença ou por materiais contaminados, como roupas e lençóis;
  • Ainda segundo o Instituto Butantan, o período de incubação da varíola do macaco é geralmente de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias.

Como é o tratamento?

Assim como ocorre com o coronavírus, o tratamento da varíola dos macacos também requer isolamento de 21 dias, com o paciente sob observação médica.