Como funciona a pilula que promete evitar ressaca depois da bebedeira

Produto acelera a degradação do álcool antes de chegar ao fígado, reduzindo os efeitos incômodos da bebida no dia seguinte

105

Imagine aproveitar uma noite com amigos dançando e tomando drinks sem se preocupar com a ressaca no dia seguinte. É o que promete um novo comprimido lançado no Reino Unido, que acelera a degradação do álcool antes de chegar ao fígado.

Em um ensaio clínico, foi demonstrado que os níveis de álcool no sangue foram reduzidos em até 50% após 30 minutos e até 70% após 60 minutos em indivíduos que tomaram a pílula em comparação com aqueles que não tomaram. Os resultados foram reunidos em um estudo publicado no periódico científico Nutrition and Metabolic Insights.

A pílula, que tem o nome comercial de “Myrkl”, é um probiótico natural e vegano, com formulação baseada na mistura de bactérias enriquecidas com um aminoácido chamado L-cisteína e vitamina B12. A indicação de uso é de dois comprimidos antes de beber pelo menos 1h e até 12h antes.

Efeitos do álcool no organismo

Durante o consumo de bebidas alcoólicas, a absorção do etanol no organismo está associada a diferentes fatores. Bebidas com concentração de álcool elevada, como whisky e gin, e beber de estômago vazio favorecem a absorção, por exemplo.

O álcool vai para o estômago, onde é absorvido e se espalha pelo corpo pela corrente sanguínea. O tempo de distribuição pelos diferentes órgãos depende de fatores como idade, peso, quantidade e tipo de bebida consumida.

A nova pílula é ativada no intestino antes que o álcool chegue ao fígado. Dessa forma, o álcool é decomposto em água e dióxido de carbono, o que leva à ausência ou baixa produção pelo fígado de acetaldeído e ácido acético, relacionado aos efeitos incômodos da ressaca. A quebra do álcool aumenta a sensação de bem-estar, com o auxílio da vitamina B12.

Quando o álcool é consumido, ele bloqueia a produção da vasopressina – também conhecida como hormônio antidiurético (ADH) ou argipressina –, responsável pela conservação de água pelos rins, ou seja, evitando que a urina se torne muito diluída. Isso causa a desidratação que vai gerar ressaca e mal estar.

“A molécula do álcool mexe com a nossa resposta fisiológica e estimula a diurese (produção de urina pelo rim). Um dos motivos da embriaguez é a desidratação, que é induzida pelo consumo de álcool. A sensação da ressaca também ocorre por conta dessa desidratação”, explica Ricardo Moreno Lima, professor do Departamento de Educação Física da Universidade de Brasília (UnB).

O especialista recomenda beber água na mesma proporção do consumo de álcool.

“O indicado para quem consome álcool é beber a mesma quantidade de água. Se a pessoa bebe uma taça de vinho, deve beber também uma taça de água. Se você segue essa linha, a chance de ficar embriagado é menor e a ressaca no dia seguinte é reduzida significativamente, uma vez que você está compensando parte do estrago que o álcool faz ao organismo”, aponta o professor.