5G: veja o que fazer para evitar que antenas parabólicas recebam interferência

Chegada da nova tecnologia pode causar falhas no sinal da TV aberta transmitido pelas antenas parabólicas. Famílias cadastradas no CadÚnico têm direito de solicitar conversor digital de forma gratuita.

68

Com a ativação da quinta geração de internet móvel — o 5G — em Brasília, nesta quarta-feira (6), o sinal de TV aberta transmitido pelas antenas parabólicas pode sofrer interferências.

Para solucionar o problema, é necessário instalar um conversor digital nos equipamentos para não perder o sinal da televisão. A capital, primeira capital do país a contar com o 5G, tem atualmente 3.341 antenas parabólicas, segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Famílias que fazem parte do Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal (CadÚnico) podem solicitar a mudança de forma gratuita. O g1 explica o passo a passo de como fazer a requisição do conversor de sinal.

Veja como solicitar a mudança

A solicitação do kit e a instalação devem ser agendados por meio do site da Entidade Administradora da Faixa (EAF), da Anatel.

No portal, basta informar CPF ou o Número de Identificação Social (NIS). Em seguida, é preciso escolher o dia e horário em que o kit será instalado pela EAF.

A solicitação também pode ser feita por meio do telefone 0800 729 2404. Segundo a entidade, a mudança de equipamento de forma gratuita está disponível apenas nas capitais brasileiras.

Mesma frequência

Atualmente, as antenas parabólicas operam na banda C, ou seja, em 3,5 GHz, explica o diretor-conselheiro da Anatel Moisés Queiroz Moreira. A frequência é a mesma que será usada pelo 5G, o que causa a interferência no sinal.

O prazo para que a transmissão pela antena parabólica pare de funcionar é de 18 meses, contando a partir desta quarta-feira, conforme determinação do governo federal. Para evitar prejuízos ao serviço, a TV aberta migrará para a banda Ku, segundo especialistas.

No Brasil, a antena parabólica estava presente em 27% dos lares em 2019, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

5G

5G: tecnologia chega nesta quarta-feira na capital — Foto: Reprodução/EPTV

A partir desta quarta, o 5G está disponível na capital. Segundo a Anatel, a expectativa é que ele chegue a 80% do DF.

Até o último fim de semana, cada uma das três operadoras autorizadas a operar na faixa (Claro, Vivo e Tim) instalou 100 estações espalhadas pelo DF, com maior concentração na região do Plano Piloto.

A tecnologia vai funcionar apenas em celulares mais recentes, de empresas como Apple, Samsung, Xiaomi, Motorola, entre outras. Ao todo, 67 celulares que suportam o 5G foram homologados pela agência (veja lista aqui).

Inicialmente, a expectativa é que o serviço seja garantido nos atuais planos das operadoras, sem cobrança extra. Segundo especialistas, a quinta geração da internet vai aumentar a capacidade de transmissão de dados e diminuir a latência, que é o tempo que a informação leva para sair do computador e chegar no destino.

De acordo com a Anatel, as próximas capitais a receberem o sinal são: São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e João Pessoa. No entanto, ainda não há data definida. Apesar da chegada da nova tecnologia, o 4G não deixa de existir.