Uso do Pix no e-commerce quadruplica, aproximando-se do boleto

129

Mais de um ano e meio após o seu lançamento, o Pix ganha cada vez mais e mais adeptos. Agora, o método de pagamento instantâneo também cresce no e-commerce. A ferramenta de transações quadruplicou nas compras online no Brasil e deve, em breve, ultrapassar o boleto.

Em maio, a consultoria Gmattos realizou um estudo que mostrou essa aproximação do Pix a outras opções, incluindo também o cartão de crédito. Vale lembrar que, recentemente, a transação instantânea bateu o recorde diário, chegando a 73,2 milhões de operações em um dia.

De acordo com o levantamento, em janeiro de 2021, na primeira edição do estudo, o método era apenas o quinto no ranking, aceito apenas por 16,9% dos e-commerces no país. Agora, o Pix chegou a uma aceitação de 74,6%, valor mais de quatro vezes superior.

Mas, isso não significa que outras formas de pagamento ficaram estagnadas. O boleto, por exemplo, subiu de 74,6% no ano passado para 76,3% este ano. O cartão de crédito, porém, ainda lidera o varejo virtual no Brasil, aceito em 98,3% dos estabelecimentos online.

Pix

Agora, a consultoria avalia que o Pix pode alcançar um patamar de 91% de aceitação a longo prazo. O estudo considera lojas que já aceitam pagamentos à vista, como débito ou boleto. A transação instantânea só não deve ultrapassar os cartões de crédito.

“Se confirmada a agenda para novas funcionalidades para o PIX em 2022, como o Pix parcelado, um novo impulso na aceitação desta modalidade poderá ser observado”, diz o estudo. Foram 59 lojas online analisadas pela Gmattos, de vários setores. Juntas, essas companhias representam 85% do varejo virtual no Brasil.