Com proposta de transformar ideias inovadoras em negócios de sucesso, programa Centelha abre inscrições em Rondônia

123

O Programa Centelha abre espaço para a participação de todos os cidadãos de Rondônia, tanto para inscrever suas ideias quanto para interagir com os empreendedores, consolidando uma forte rede de apoio ao empreendedorismo inovador. As inscrições para o programa estão abertas até o dia 18 de fevereiro de 2022, à qualquer cidadão rondoniense, maior de 18 anos. Menor de 18 anos também podem se inscrever desde que sejam emancipados.

O Centelha é aberto ainda aos empreendedores que tenham empresas com rendimento anual de R$ 4,8 milhões, com até 12 meses de existência anteriores à data de publicação do edital “Centelha Rondônia”.

“O edital completo está disponível em nossa plataforma “Centelha Rondônia”, pelo link (https://programacentelha.com.br/ro/), onde pode ser feita a consulta em busca de maiores informações e detalhes do programa”, enfatiza a coordenadora do programa em Rondônia, Cleópatra Caldeira.

Vale ressaltar que 22 projetos serão contemplados em Rondônia, cada um com R$ 53.636,00 (cinquenta e três mil e seiscentos e trinta e seis reais) em subvenção econômica, além da concessão de bolsas de Fomento Tecnológico e Extensão Inovadora do CNPq, no valor de R$ 26 mil.

Além disso, durante um ano, será oferecido todo o acompanhamento, com suporte e capacitação, para transformar as ideias selecionadas em negócios de sucesso.

ADESÃO

Visando estimular a cultura empreendedora e de inovação em Rondônia, o Governo do Estado aderiu ao Programa Centelha, executado pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Ao oferecer recursos de subvenção econômica, não reembolsáveis, o programa incentiva o empreendedorismo inovador, buscando transformar ideias em negócios de base tecnológica.

Lançado em 16 de dezembro de 2021 em Rondônia, com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes e do governador Marcos Rocha, o edital do programa prevê a destinação de R$ 1.179.992,00 (um milhão, cento e setenta e nove mil, novecentos e noventa e dois reais) para o desenvolvimento do Centelha em Rondônia, sendo R$ 299.992,00 (duzentos e noventa e nove mil, novecentos e noventa e dois reais) a contrapartida do Poder Executivo, por intermédio da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa Rondônia (Fapero).

Essa é a primeira participação de Rondônia no edital do Centelha e de acordo com o presidente da Fapero, Paulo Renato Haddad, a intenção do Estado é justamente auxiliar os empreendedores e qualquer pessoa que tenha uma ideia inovadora e queira transformá-la em um negócio. “Nesse sentido, o programa visa dar um suporte e até mesmo um impulso para que este empreendedor tenha essa ajuda. O objetivo é fazer com que essas ideias inovadoras se tornem empreendimentos, incorporando essas novas tecnologias aos setores econômicos daqui do Estado e ao mesmo tempo gerando empregos e renda”, pontua.

É importante destacar  que o Centelha também conta com a parceria da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do MCTI, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (CERTI).

TEMÁTICAS E SETORES PRIORITÁRIOS

O primeiro edital do Programa Centelha em Rondônia busca contemplar projetos inovadores em diversas áreas temáticas: Automação; Big Data; Biotecnologia e Genética; Blockchain; Design; Eletroeletrônica; Geoengenharia; Inteligência Artificial e Machine Learning; Internet das Coisas (IoT); Manufatura Avançada e Robótica; Mecânica e Mecatrônica; Nanotecnologia; Química e Novos Materiais; Realidade Aumentada; Realidade Virtual; Segurança, Privacidade e Dados; Tecnologia Social; Tecnologia da Informação (TI) e Telecom.

Serão apoiados projetos inovadores que tenham suas soluções aplicadas aos seguintes setores de Administração Pública; Aeroespacial; Agronegócio; Automotivo; Bens de Capital; Borracha e Plástico; Cerâmica; Comércio e Varejo; Construção Civil; Construção Naval; Economia Criativa; Economia do Turismo, Gastronomia, Eventos e Lazer; Educação; Elétrico e Eletrônico; Energia; Fabricação de Alimentos e Bebidas; Farmoquímico e Farmacêutico; Financeiro; Jurídico; Madeira e Móveis; Marketing e Mídias; Meio Ambiente e Bioeconomia; Mercado Imobiliário; Metal-Mecânico e Metalurgia; Mineração; Papel e Celulose; Pesca e Aquicultura; Petróleo e Gás; Químico; Saúde e Bem Estar; Segurança e Defesa; Social; Tecnologia da Informação e Telecomunicações; Têxtil, Confecção e Calçados; e Transporte, Logística, Mobilidade.