Covid-19: Reino Unido confirma dois casos de ômicron

Informação é do ministro da Saúde, Sajid Javid; um deles é em Chelmsford, e o outro em Nottingham.

78

O Reino Unido registrou dois casos da nova variante ômicron, disse o ministro da Saúde, Sajid Javid, neste sábado (27), segundo agências internacionais.

“Na noite passada, fui contatado pela Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido. Fui informado de que eles detectaram dois casos dessa nova variante, ômicron, no Reino Unido. Um em Chelmsford, o outro em Nottingham”, disse.

Segundo ele, os dois casos estão relacionados e há uma conexão com viagens para a África Austral (sul do continente). “Esses indivíduos ficarão isolados com suas famílias enquanto mais testes e rastreamento de contato estão em andamento”, informou.

Na Alemanha, um caso suspeito de Covid-19 identificado na Alemanha tem “alta probabilidade” de ser da variante ômicron, disse neste sábado uma autoridade regional do país.

Um viajante, que retornava da África do Sul, testou positivo para a doença e análises preliminares apontaram mutações parecidas com a da nova variante na cepa do vírus.

“Há uma alta probabilidade de que a variante ômicron tenha chegado à Alemanha”, disse Kai Klose, ministro para Assuntos Sociais na região de Hesse, em uma rede social.

Ainda segundo o membro do Executivo regional, pesquisadores avaliam a sequência genética – como se fosse a identidade do vírus – para confirmar a mutação.

A variante preocupa pois tem 50 mutações — algo nunca visto antes —, sendo mais de 30 na proteína S (spike) – a “chave” que o vírus usa para se acoplar às células, alvo da maioria das vacinas disponíveis.

A variante ômicron foi detectada no momento em que muitos países europeus estão lutando contra um aumento nos casos de coronavírus.

61 infectados na Holanda

As autoridades de saúde da Holanda disseram que 61 pessoas que chegaram ao país em dois voos vindos da África do Sul, na sexta-feira (26), testaram positivo para a Covid-19.

Não há, até a última atualização desta reportagem, informações sobre qual é a variante do coronavírus encontrada nestes infectados.

Passageiros esperam por seus resultados do teste de Covid-19 no Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, Holanda, em foto do dia 26 de novembro de 2021 — Foto: Reuters

Passageiros esperam por seus resultados do teste de Covid-19 no Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, Holanda, em foto do dia 26 de novembro de 2021 — Foto: Reuters

Todos os passageiros infectados estão isolados, e vão passar por testes neste sábado (27) para descobrir se a recém-descoberta variante do coronavírus, a ômicron, pode estar circulando entre eles.

Ainda na sexta-feira, viajantes enfrentaram longas horas de espera e testes por conta da nova mutação do vírus, classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como ‘variante de preocupação’.

O ministro da Saúde, Hugo de Jonge, determinou que os passageiros que já estavam a caminho da Holanda fossem submetidos a testes e quarentena na chegada ao país.

1º caso na Bélgica, fechamento de fronteiras

Na sexta, a Bélgica detectou um caso de infecção por Covid-19 ligado à variante ômicron do coronavírus. Foi a primeira vez que a nova variante foi identificada na Europa.

Na quinta-feira (25), o Reino Unido restringiu viagens à África do Sul e mais cinco países do continente. Ea Comissão Europeia propôs a suspensão dos voos do sul da África para a União Europeia.

A Alemanha anunciou que não aceitará a entrada de viajantes procedentes da África do Sul e a Itália informou a proibição de entrada em seu território de qualquer pessoa que esteve em 7 nações do sul da África nos últimos 14 dias.

Passageiros que tentam retornar da África do Sul, após descoberta da variante ômicron do coronavírus, ficaram presos no aeroporto em meio a cancelamentos de voos e restrições.