Prefeitura lança a campanha “Não esqueça a hanseníase”

Orientação e atividades preventivas serão oferecidas para eliminar a doença

80

A Prefeitura de Porto Velho lança, na próxima segunda-feira (4), às 9h, no auditório do Teatro Estadual Palácio das Artes, a campanha “Não esqueça a Hanseníase”, para difundir as inciativas voltadas para a eliminação da doença.

O lançamento da campanha prossegue à tarde, no Espaço Alternativo, a partir das 17h. A programação inclui, ainda, capacitação para os servidores da saúde, visando aprimorar os atendimentos nos contatos domiciliares.

O evento vai contar com a presença do coordenador nacional do Movimento de Reintegração das pessoas atingidas pela Hanseníase (Morhan), Artur Custódio, da Miss Brasil Mundo, Caroline Teixeira, porta-voz da campanha, e de autoridades locais.

PELE

A hanseníase afeta principalmente a pele, os olhos, o nariz e os nervos periféricos. Os sintomas incluem manchas claras ou vermelhas na pele com diminuição da sensibilidade, dormência e fraqueza nas mãos e nos pés.

Há cura para a hanseníase, mas, se não for tratada, pode deixar sequelas. Em todo o mundo, o tratamento é oferecido gratuitamente, visando que a doença deixe de ser um problema de saúde pública.

A doença pode ser curada com 6 a 12 meses de terapia com medicamentos. O tratamento precoce evita deficiência física.

TRANSMISSÃO

A transmissão se dá através da convivência muito próxima e prolongada com o doente da forma transmissora, chamada multibacilar, que não se encontra em tratamento, por contato com gotículas de saliva ou secreções do nariz. Tocar a pele do paciente não transmite a hanseníase.

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, cerca de 90% da população têm defesa contra a doença. O período de incubação (tempo entre a aquisição a doença e da manifestação dos sintomas) varia de seis meses a cinco anos. A maneira como ela se manifesta varia conforme a genética de cada pessoa.