Messi questiona ação em Brasil x Argentina: ‘Por que não avisaram antes?

"Eles não nos avisaram. Estamos aqui há quatro dias. Eles deveriam ter vindo no primeiro dia e não assim", respondeu Messi.

358

Lionel Messi criticou a ação da Anvisa durante o clássico entre Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Em áudio flagrado pela transmissão da partida, o craque argentino questionou o fato de as autoridades brasileiras só terem intervindo após o início a partida, que foi paralisada aos cinco minutos e, posteriormente, suspensa.

A crítica de Messi aconteceu ainda no campo de jogo, em uma “reunião” com os técnicos Tite e Lionel Scaloni, o atacante Neymar e Juninho Paulista, coordenador da seleção brasileira. A conversa foi flagrada pela transmissão de canais argentinos. Veja a transcrição abaixo.

“Fizeram da maneira errada, mas avisaram antes que os jogadores estavam irregulares”, disse Juninho.

“Eles não nos avisaram. Estamos aqui há quatro dias. Eles deveriam ter vindo no primeiro dia e não assim”, respondeu Messi.

“Não avisaram?”, interrompeu Tite. “Não nos avisaram nada”, disse Messi.

Scaloni, então, emendou: “Por que não foram buscá-los no hotel? (…) A Conmebol disse que podiam jogar, não me diga o que não existe.”

Messi: “Escute, faz três dias que estamos aqui, estavam esperando que a partida começasse para vir. Por que não avisaram antes?”

O jogo foi paralisado na tarde de hoje depois que agentes da Anvisa entraram em campo na Neo Química Arena para impedir que os jogadores argentinos que descumpriram ordem de quarentena disputassem o confronto. Os atletas em questão eram: o goleiro Emiliano Martinez, os meias Emiliano Buendia e Giovani Lo Celso e o zagueiro Cristian Romero — todos atuam na Inglaterra.

A confusão à beira do campo começou aos cinco minutos. Funcionários responsáveis pela operação do jogo tentaram impedir a entrada no campo, mas não conseguiram. Minutos depois, os jogadores da seleção argentina deixaram o gramado.

No início da tarde, a Anvisa chegou a emitir um comunicado no qual apontou “risco sanitário grave, e por isso orientou às autoridades em saúde locais a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro”.

Segundo a Anvisa, os quatro jogadores declararam não ter passagem por nenhum dos quatro países com restrições nos últimos 14 dias — entre eles a Inglaterra. Os viajantes chegaram ao Brasil em voo de Caracas/Venezuela com destino a Guarulhos. Porém, notícias não oficiais chegaram à Agência dando conta de supostas declarações falsas prestadas por tais viajantes.