CAPACITAÇÃO | Alunos do município terão aulas sobre empreendedorismo

83

Professores do ensino fundamental de Porto Velho serão capacitados com a metodologia Jovens Empreendedores Primeiros Passos (Jepp), que foi criada para despertar características empreendedoras nos jovens estudantes. A palestra de abertura foi realizada, nesta quarta-feira (18), com a participação do prefeito Hildon Chaves e da secretária Gláucia Lopes Negreiros, da Secretaria Municipal de Educação (Semed).

A palestra foi apresentada de forma remota pelo analista do Sebrae, Emerson Pinduka. A metodologia exclusiva estimula a criatividade de forma lúdica, o autoconhecimento e o pensamento crítico dos alunos.

O curso, que será ministrado aos professores nos meses de setembro e outubro, procura fomentar na educação básica a cultura empreendedora.

“A capacitação dos professores aborda temas como comportamento empreendedor, plano de negócios, cultura, cooperação, inovação, ética e cidadania, sustentabilidade ambiental, e só é possível aplicá-la em razão do interesse dos gestores municipais, que assinaram termo de adesão com o Sebrae”, explica a secretária Gláucia Negreiros.

ESTÍMULO

“A metodologia é ferramenta fundamental para ampliar resultados no campo dos negócios, além de estimular a iniciativa criativa nos negócios em jovens ainda no ambiente escolar. E tudo ocorre tendo o professor como emissor das mensagens de inspiração para o empreendedorismo”, ressaltou o prefeito Hildon Chaves.

“Esta é uma contribuição para a construção de cidadãos. Estamos despertando características empreendedoras que estão latentes no indivíduo. Além disso, o processo de conhecimento acaba sendo uma grande atividade motivacional, pois inclui toda a comunidade escolar”, disse Daniel Pereira, superintendente do Sebrae/RO.

“A metodologia aplicada em sala de aula é estimulante. O processo final resulta em uma feira do Jovem Empreendedor, em que os alunos colocam em prática os conteúdos desenvolvidos. Com ajuda dos professores e familiares ou mesmo por iniciativa própria, as crianças comercializam, por preços simbólicos, produtos como alimentos, peças artesanais, entre outras iniciativas”, completou a secretária Gláucia Negreiros.