Lira diz que chance de aprovação da PEC do voto impresso em plenário é baixa

Para o presidente da Câmara, o TSE e o STF deverão encontrar maneira de 'serenar as dúvidas' sobre o sistema eleitoral caso o tema não seja aprovado

117

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou em entrevista à rádio CBN nesta segunda-feira (9) que as chances de aprovação da PEC do voto impresso em plenário são baixas. 

Na última sexta-feira (6), Lira anunciou que pautaria a votação da PEC em plenário nesta terça-feira (10) – mesmo após o tema ser derrotado em comissão especial. 

“Temos hoje em média 15 ou 16 partidos contra o voto impresso na câmara, com essa perspectiva penso que a chance de aprovação podem ser poucas”, disse Lira à CBN. 

Caso o tema não seja aprovado pela Câmara, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Supremo Tribunal Federal (STF) deverão encontrar meios de “serenar as dúvidas” sobre o sistema eleitoral, disse Lira. 

“Essa discussão, do meu ponto de vista, já passou de todos os limites, após disso não teremos vencidos e nem vencedores. É importante que o TSE e o STF possam encontrar uma maneira administrativa de sugestões para serenar as dúvidas, mais firmes do que a testagem de cem urnas. Haveremos de achar o caminho caso a PEC não prospere.”

Ao mencionar uma possível derrota em plenário, o presidente da Câmara afirmou que conversou com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na última sexta e que ele respeitará a decisão do plenário. 

O presidente me garantiu, em telefone, que respeitaria o resultado do plenário. Eu espero que ele respeite e tenha obediência ao que o plenário da Câmara, que é o órgão maior de decisões do Legislativo, decidir.”

Segundo Lira, a data de votação da PEC do voto impresso será definida após uma reunião de líderes, marcada para esta segunda, às 19h. O tema poderá ser analisado nesta terça ou quarta-feira (11).

Para ele, nenhuma PEC “esticou tanto a corda na relação entre os poderes” como a PEC do voto impresso e, por isso, é importante a Câmara “dar a palavra final” sobre o tema defendido por Bolsonaro. 

“Iremos fazer no dia de hoje uma reunião de líderes, às 19h. Temos uma semana intensa. Esse assunto, no meu ponto de vista, chegou ao limite. Após essa reunião de líderes ela [PEC] pode estar amanhã ou quarta-feira na pauta da Câmara”