HBO Max não ameaça os streamings rivais – mas é a pá de cal na TV a cabo

100

E eis que depois de uma longa espera, a HBO Max finalmente pousou no Brasil. Fruto da fusão entre Warner Media e AT&T, o serviço veio com o potencial para ser uma espécie de”Poderoso Megazord” das plataformas de streaming.

Isso porque, além de todo conteúdo da HBO, o serviço promete um vasto acervo do Warner Channel, filmes dos estúdios Warner Bros., New Line, DC Entertainment, CNN, TNT, TBS, truTV, TCM, Cartoon Network, Adult Swim, Crunchyroll,Rooster Teeth e de diversos outros canais e produtoras pertencentes à Warner Media, além das atrações do canal Discovery, com quem a Warner Media se fundiu recentemente. Além disso, há ainda filmes e séries “Max Originals”, produzidos especialmente para a plataforma – como a tão falada reunião de Friends e o sofrível “Liga da Justiça Snyder´s Cut”, entre muitos outros.

Pois bem, o serviço estreou por aqui, já trazendo uma coisa legal: um desconto de 50% no plano mensal, que permitirá ao usuário pagar R$ 9,90 no plano mobile e R$ 13,95 na versão multitela. E, o que é mais legal: esse valor será mantido por tempo indeterminado, enquanto a assinatura for válida. Além disso, como acontece com outros serviços de streaming rivais, o HBO Max criou parcerias com diversas empresas, como Claro, Mercado Livre, Vivo e TIM, que poderão integrar a plataforma em seus pacotes de ofertas.

Dito tudo isso, é importante citar: o serviço de streaming em si não reinventa a roda. Ele tem uma interface fácil de usar, mas que não se difere em nada de seus concorrentes. Inclusive, não tem recursos que outros já têm, como a possibilidade de realizar download dos filmes e séries para assistir no modo offline. As categorias das atrações também são genéricas (“Filmes que amamos”, “Produções brasileiras”, “Diversão em família”, etc), mas, no menu lateral, o conteúdo pode ser separado por estúdio (HBO, Max Originals, Warner, DC e Cartoon Network), o que é algo legal.

As legendas precisam de um melhor tratamento, com alguns erros básicos, mas nada que comprometa a experiência. E o serviço ainda não conta com uma ampla gama de conteúdos exclusivos, principalmente se compararmos com Netflix, Amazon Prime e Disney+. Já o sistema de sugestões não será analisado nesse momento, já que começamos a testar o serviço nesta terça-feira (29), então é cedo demais para dizer se funciona ou não.

E navegando pela HBO Max, dá para pescar muita coisa legal para assistir. Entre as séries, há clássicos como Sopranos, The Wire, Friends e Um Maluco no Pedaço, até sucessos mais recentes de público, como Game of Thrones, Chernobyl, The Big Bang Theory, Two and the Half Men, Gossip Girl e mais. Já entre os filmes, quase tudo da DC, a série Harry Potter, a primeira trilogia de O Senhor dos Aneis, Matrix e Onze Homens e Um Segredo, Um Sonho de Liberdade, os premiados documentários da HBO, entre outros. Sem contar os futuros lançamentos que a Warner promete liberar na plataforma ao mesmo tempo em que eles chegam aos cinemas, como o novo Matrix, Esquadrão Suicida, Duna, etc. Para completar, a WarnerMedia promete liberar outros conteúdos – novos e antigos – ao longo dos próximos meses por aqui.

E o “Poderoso Megazord” do streaming é uma ameaça para outros serviços? 

Em uma análise rápida do serviço, não dá para dizer que você poderia trocar o Netflix, o Disney+ ou o Amazon Prime, pelo HBO Max e ser feliz. Nesse primeiro momento, ele funciona como um complemento (bem) eficiente para quem quer um vasto catálogo de filmes e séries à disposição para todas as faixas etárias. Hoje, o ponto forte da plataforma é o seu acervo de conteúdos mais antigos que, até hoje, são muito queridos pelo público.