Saúde ignora distanciamento e máscaras em guia de combate a sedentarismo

84

 O ministério da Saúde lançou hoje um guia sobre exercícios e atividades físicas em diversas idades. A cartilha busca orientar sobre obesidade e sobre o combate ao sedentarismo. Entre as orientações de saúde, a pasta não aborda uso de máscara ou distanciamento social, apesar de o país viver atualmente uma pandemia e as medidas serem recomendadas por autoridades de saúde para evitar a transmissão do novo coronavírus. Em alguns tópicos, a cartilha incentiva práticas em grupo, que é criticado por especialistas.

O material foi elaborado em parceria com a UFPel (Universidade Federal de Pelotas) e envolveu cerca de 70 pesquisadores da área da atividade física e saúde, além de técnicos do ministério e da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde). O secretário de Atenção Primeira à Saúde, Raphael Câmara, afirma que o guia marca os compromissos do governo com a saúde da população. “No contexto da pandemia, a atividade física ajuda a fortalecer a imunidade e nós estamos incentivando a população a se movimentar”, destacou.

Segundo dados do ministério, 44,8% da população brasileira não realizava o mínimo de atividade física recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), até 2019. Já a OPas aponta que a região das Américas concentra as pessoas mais obesas do mundo. Segundo a entidade, quatro entre dez pessoas estão acima do peso.

O manual aborda recomendações, tipos de atividade e possibilidades para crianças, adolescentes, adultos, idosos, gestantes e pessoas com deficiência. Além disso, um capítulo é dedicado aos educadores físicos.

A única questão respiratória abordada é para o caso de pessoas com asma e quais exercícios são os mais apropriados para o grupo. Alguns trechos destacam atividades feitas em grupo, sem orientações de distanciamento ou uso de máscaras.

O guia será distribuído em secretarias municipais e estaduais de saúde, de acordo com o ministério. Além disso, o documento será enviado para profissionais e usuários do Programa Academia da Saúde e disponibilizado em formato digital em inglês, espanhol, braile e em áudio.

O Brasil já contabiliza 514.202 mortes por covid-19 desde o começo da pandemia, sendo o segundo país com mais óbitos no mundo, conforme levantamento da Universidade Johns Hopkins. O país também tem 18.447.420 de casos oficiais, segundo dados do consórcio de veículos de imprensa do qual o UOL faz parte.